Sem Comentarios

Fotografo baiano Alexandre Augusto lança livro sobre as mulheres trabalhadoras da Chapada

A foto de capa do livro foi baseada em um mural do artista mexicano Diego Rivera - Foto: Alexandre AugustoFoi por acaso, no meio de uma viagem à Chapada Diamantina (distância de 409 km de Salvador) que o fotográfo baiano Alexandre Augusto encontrou seu mais novo trabalho. Entre tantos cliques aleatórios, algo chamou atenção. "Uma região que passa mais de ano sem chover e quando cai é uma chuvinha pouca. Ficava me perguntando o que as pessoas faziam para sobreviver por ali. Está pergunta me inquietava e era nisso que estava interessado. Saí fotografando o cotidiano, a paisagem, os animais, as crianças. Até que encontrei minhas Mulheres de Pedra trabalhando no Morro do Tigre, em Itatim".
O Livro Stone Women (Mulheres de Pedra) lançado em versão bilíngue (português e inglês), é composto por fotografias que exibem o cotidiano de trabalhadoras da Chapada Diamantina que ganham a vida quebrando blocos de pedras, mas as imagens vão além disso. Os registros exaltam a grandeza do feminino. "O livro é um desdobramento da exposição fotográfica Mulheres de Pedra, que atraiu grande público às suas duas edições em 2017, na Unibes Cultural, em São Paulo, e no Teatro Gregório de Matos, em Salvador", explica.
Fotografo e jornalista Alexandre Augusto
Fotografo e jornalista Alexandre Augusto
Durante dois anos, Alexandre Augusto fotografou o cotidiano de trabalhadoras do inteiror baiano que mescla a dureza da pedra com a poesia do feminino.  O fotografo reuniu 46 imagens – a exposição mostrou 22 delas – para estampar as páginas do livro que mostra uma trilha visual por cidades perdidas no meio do nada, onde a chuva não cai e as cores no cinza quem dá são as mulheres com camisas enroladas no rosto e no pescoço, esmaltes nos pés descobertos e combinações de roupas que soariam fashion em qualquer editorial de moda mais despojado.
O fotógrafo e jornalista que hoje mora na Inglaterra, lançará o livro em Salvador, mas precisamente na Paulo Darzé Galeria, no Corredor da Vitória. A sessão de autógrafos ocorrerá no dia 13 de novembro, a partir das 18h.

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.