Sem Comentarios

Na reta final, presidenciáveis finalmente lembram de passar pela Bahia
Foto: Reprodução/ Sinfrônio

Após um início de campanha com a presença de poucos presidenciáveis em Salvador – apenas Marina Silva (Rede) tinha passado pela capital baiana desde o registro das chapas -, quatro candidatos ao Palácio do Planalto passarão por aqui em três dias. A romaria começou com João Amoêdo (Novo), nesta quinta-feira (20), segue com Guilherme Boulos (PSOL) e Geraldo Alckmin (PSDB) na sexta e Ciro Gomes (PDT) no sábado. Parece que, após as pesquisas sinalizarem a rápida ascensão de Fernando Haddad entre os baianos, os adversários decidiram dar mais atenção aos eleitores locais.

Se contabilizado a passagem do senador Magno Malta (PR) como representante de Jair Bolsonaro (PSL) no domingo e a segunda visita de Fernando Haddad (PT), em Juazeiro no mesmo dia, praticamente todos os candidatos à Presidência da República vão investir em convencer os baianos às vésperas do primeiro turno. Com mais de 10 milhões de eleitores, definitivamente, o estado é um espaço a ser explorado por quem quer ganhar uma eleição.

Fernando Haddad tem uma ligeira vantagem contra os adversários: o PT possui um histórico extremamente positivo nas disputas pelo Planalto em território baiano. Nos últimos três pleitos, conquistou quase a metade dos votos válidos e, segundo o levantamento recente do Ibope, tende a manter bons números nas votações. Além disso, tem o governador Rui Costa como candidatíssimo à reeleição e com possibilidade de encerrar a disputa ainda no primeiro turno. É praticamente uma receita de bolo que, se bem administrada, é difícil de dar errado.

Como o nome do ex-prefeito de São Paulo não está completamente consolidado, os adversários querem tirar um naco do potencial de votos dele. Por isso investir no corpo-a-corpo da Bahia é interessante para quem busca espaço na corrida de 2018. O difícil é convencer os eleitores a participar do processo de discussão publicamente. Ao que parece, não haverá tanta mobilização...

Para além dos parcos entusiastas das candidaturas que devem participar efetivamente dos atos de campanha – boa parte integra a claque das chapas locais -, há um dado relevante a se ressaltar: todos escolheram pontos turísticos da capital baiana para as rápidas passagens. São diversas as razões, porém existe algo bem primário nessas opções. Como os candidatos precisam parecer próximos da população, ao passar por pontos reconhecidos de Salvador, a possibilidade de identificação é facilitada.

O Mercado Modelo e o Pelourinho foram os escolhidos da vez. Marina já tinha ido à Estação da Calçada, outro local famoso da capital baiana. Como as agendas costumam aparecer nos jornais nacionais, a referência a Salvador fica implícita nas imagens e ajuda na construção da narrativa de que os candidatos estão cruzando o país e estão em contato com o tão famoso “povo”. O problema é identificar aqueles que postulam a vaga no Planalto como parte desse mesmo “povo”.

por Fernando Duarte
Mais informações →

Sem Comentarios

Prefeito de Uruçuca sofre tentativa de assalto na BR-101
Foto: Luiz Fernando Teixeira / Bahia Notícias

O prefeito de Uruçuca, no sul baiano, Moacir Leite, foi alvo de uma tentativa de assalto na noite desta quarta-feira (19), por volta das 21h30min. O gestor viajava para Salvador quando foi surpreendido por homens armados que estavam a bordo de um EcoSport que emparelhou com o carro onde estava o prefeito. Conforme o Blog Pimenta, o fato ocorreu em um trecho da BR-101 entre Camamu e Ibirapitanga, no Baixo Sul do estado.

Um acusado de arma em punho ordenou que o motorista do prefeito parasse o carro e bloqueou uma das pistas.  Ao que o motorista do gestor desviou do veículo quando percebeu que um caminhão vinha no sentido contrário. O condutor aumentou a velocidade, conseguindo se distanciar dos acusados. Próximo de um posto de combustíveis em Gandu, já na região do Baixo Sul, o prefeito parou em busca de proteção.

Ao perceber que não estava mais sendo seguido, o prefeito retomou a viagem para a capital baiana. O caso foi registrado na Polícia Civil. Moacyr Leite descartou suspeita de crime político.
Mais informações →

Sem Comentarios


A pesquisa ouviu 1.764 famílias de diferentes classes sociais e de todas as regiões brasileiras - Foto: Antônio Cruz | Agência Brasil

Base da alimentação do brasileiro, o arroz e o feijão representam 38% do montante de alimentos jogado fora no país. O dado faz parte da pesquisa sobre hábitos de consumo e desperdício de alimentos, do projeto Diálogos Setoriais União Europeia – Brasil, liderado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com apoio da Fundação Getulio Vargas (FGV).
A pesquisa ouviu 1.764 famílias de diferentes classes sociais e de todas as regiões brasileiras. O ranking dos alimentos mais desperdiçados mostra arroz (22%), carne bovina (20%), feijão (16%) e frango (15%) com os maiores percentuais relativos ao total desperdiçado. “A grande surpresa foram as carnes aparecerem com um índice tão alto de desperdício, um produto de alto valor agregado, de alto valor nutricional e que é desperdiçado. E destaco ainda o leite, que é o quinto grande grupo mais jogado fora”, disse o professor de marketing da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da FGV, Carlos Eduardo Lourenço.
Os dados detalhados da pesquisa foram apresentados hoje (20) no Seminário Internacional Perdas e Desperdício de Alimentos em Cadeias Agroalimentares: Oportunidades para Políticas Públicas, na sede da Embrapa, em Brasília (DF).
No Brasil, a média de alimentos desperdiçados por domicílio é de 353 gramas por dia. Individualmente a média é de 114 gramas por dia.
Entre os motivos do desperdício apontados pelos pesquisadores está a busca pelo sabor e a preferência pela fartura dos consumidores brasileiros. O não aproveitamento das sobras das refeições é o principal fator para o descarte de arroz e feijão. “Essa busca pelo sabor e pelo frescor do alimento acaba tendo outro impacto que é o descarte de um excesso ou quando acontece algum evento que muda o planejamento da família”, disse Lourenço, explicando, entretanto que a culinária diversa e saborosa do brasileiro deve ser valorizada.
Como exemplo desses eventos, o professor da FGV cita o caso pesquisado de uma pessoa que, após um churrasco, acabou descartando quatro quilos de carne ou ainda o caso de quem salgou demais o feijão durante o cozimento e acabou jogando a panela toda fora, em vez de tentar recuperar o alimento.
Cultura da abundância
Os resultados mostraram que 61% das famílias priorizam uma grande compra mensal de alimentos, além de duas a quatro compras menores ao longo do mês. De acordo com os pesquisadores, esse hábito leva ao desperdício pois aumenta a propensão de comprar itens desnecessários, especialmente quando a compra farta é combinada com o baixo planejamento das refeições.
Algumas contradições também aparecem entre o público pesquisado. Enquanto 94% afirmam ser importante evitar o desperdício de comida, 59% não dão importância se houver comida demais na mesa ou na despensa. A maioria das famílias (68%) valoriza muito ter uma despensa e geladeira cheias de alimento. “O brasileiro gosta de abundância, é muito comum na nossa cultura”, disse Lourenço.
Outra descoberta relevante da pesquisa é que 43% das pessoas concordam que “os conhecidos jogam comida fora regularmente”, mas quando abordado o comportamento da própria família o problema não aparece tanto. Segundo Lourenço, apesar do grande desperdício, o brasileiro tem a percepção do impacto social desse comportamento e parece ter um esforço de não desperdiçar. “Essa consciência aparece na pesquisa”, disse.
Vilão do desperdício
De acordo com o professor da FGV, o motivador do desperdício é transversal e acontece em todas as classes sociais. “Não há um vilão”, ressaltou Lourenço. “Talvez fosse mais fácil se tivesse, mas é um problema geral da nossa sociedade”. Segundo ele, apenas em hortaliças o desperdício acontece mais nas classes A e B do que nas classes C e D.
Para o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, é preciso atuar em todos os elos da cadeia: evitar que o produto fique no campo, com tecnologias e capacitações tecnológicas que aumentem a produtividade e preservem o meio ambiente; garantir que o alimento chegue à mesa do consumidor, com a comercialização in natura ou para agroindústrias; e educar as pessoas para ao consumo, para evitar o desperdício.
“Um terço de toda a produção agrícola está sendo desperdiçada, seja no pós-colheita, seja em toda a cadeia de alimentos. Se combatêssemos isso com efetividade, estaríamos combatendo a fome e diminuindo a pressão sobre nossas florestas e nossos recursos naturais”, disse.
Design dos alimentos
A pesquisa iniciou com uma fase qualitativa, na qual 62 consumidores foram entrevistados em supermercados, lojas de conveniência e feiras livres. A coleta de dados envolveu um grupo de pós-graduandos europeus das universidades de Bocconi (Itália), St Gallen (Suíça), Viena (Suíça) e Groningen (Holanda). O objetivo foi avaliar hábitos de compra e consumo de alimentos dos brasileiros, a partir do olhar dos europeus.
“Os estudantes europeus ficaram impressionados com a quantidade dos alimentos adquiridos pelos brasileiros, principalmente nas compras semanais”, disse Lourenço, contando que os estudantes se perguntavam por que nas lojas de conveniência, onde as compras são menores, os carrinhos utilizados eram enormes.
Na segunda fase da pesquisa, foi utilizado um painel com mais de 600 mil consumidores brasileiros. Depois de uma triagem, foram selecionadas três mil pessoas de todo o país e, dessas, 1.764 participaram efetivamente da primeira fase quantitativa da pesquisa. Entre elas, 638 famílias participaram também do preenchimento de um diário alimentar, que incluiu dados sobre quantidades desperdiçadas e fotos dos alimentos descartados.
Nessa etapa, foi observado que o brasileiro está mais preocupado com sabor e aparência dos alimentos, do que em consumir alimentos saudáveis ou pouco calóricos. Para o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, na hora da compra, o brasileiro exalta mais o design dos alimentos do que seu valor nutricional. “Temos uma cultura de expor em excesso, de exaltar o visual. Quando entramos no supermercado é ótimo ter gôndolas cheias de alimentos bonitos e polidos, consumimos primeiro com os olhos para depois pensar na consequência desse consumo”, disse.
Segundo Lopes, esse problema de consumo tomou grandes dimensões no sistema agroalimentar e faz com que a perda e o desperdício sejam quase que necessário. “Do ponto de vista da produção, muitas vezes faz mais sentido deixar os alimentos se perderem do que viabilizar outra rota de uso para esses produtos”, disse, explicando que, quando se fala em desperdício, não é só de alimento, mas de água, energia e mão de obra, além da emissão de gases de efeito estufa em toda essa cadeia. “Os números dessa pesquisa são nada menos que alarmantes”, ressaltou.
Engajamento
Por fim, na terceira fase da pesquisa, foi realizado um levantamento de dados em blogs e redes sociais como Facebook e Twitter, com o objetivo de avaliar como o tema desperdício de alimentos foi propagado na internet nos últimos meses. Os resultados indicaram que 75% desse assunto é tratado por instituições públicas e privadas e há pouco envolvimento das pessoas nesse tema.
Para Lourenço, é preciso pensar em estratégias de comunicação para sensibilizar e engajar o público nessa causa. “Há um esforço institucional que não reverbera nas pessoas, elas não reportam, não fazem a viralização, então a informação não se propaga”, destaca o professor da FGV. “Nos surpreendeu como ainda não conseguimos engajar o brasileiro num assunto que é tão relevante”.
As ações de cooperação para o combate ao desperdício alimentar, financiada pela União Europeia, são desenvolvidas com outros parceiros, como o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e a organização não-governamental WWF-Brasil.
Segundo o embaixador da União Europeia no Brasil, João Gomes Cravinho, o tema não tem audiência nos debates públicos como deveria ter, mas quando a perspectiva é de 10 bilhões de pessoas no planeta em 2050, é preciso pensar em formas de alimentar essas pessoas com alimentos seguros e nutritivos.
“É fundamental que saibamos escolher políticas públicas que não nos obrigue a escolher entre alimentar o planeta ou salvar o planeta. A produção deve se tornar cada vez mais sustentável e menos um peso para os nossos recursos naturais”, disse.
Mais informações →

Sem Comentarios

Humberto Gomes (camisa branca) e Wellington Santos foram apresentados na Draco

Um homem apontado como o líder do tráfico de drogas na Fazenda Grande do Retiro, em Salvador, e um comparsa foram detidos transportando 52 quilos de maconha em um caminhão pelo sistema ferryboat. A prisão ocorreu na noite desta quarta-feira, 20. 
Os homens levavam o entorpecente para a ilha, no município de Vera Cruz. Para transportar a droga, os suspeitos utilizam um caminhão que usava um selo de prestação de serviço para a Prefeitura de Salvador. A tática dos suspeitos, ao usar um veículo com a marca da Secretaria Municipal de Manutenção, segundo a polícia, era não chamar atenção em blitze.
A ação que resultou na prisão Humberto Santos Gomes, 32 anos, o "Papel", e Wellington de Oliveira Santos, também de 32 anos, foi coordenada pelas Operações Especiais (COE) da Polícia Civil e faz parte da operação "Conhecer, Operar e Aproximar (COA)". 
Caminhão usado pelos suspeitos tinha o selo da Secretaria Municipal de Manutenção

Revezamento
Ainda de acordo com a polícia, Wellington "revezava o uso do caminhão, placa NZH-2204, para serviços da Prefeitura de Salvador e tráfico de drogas". Os homens foram apresentados no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e autuados por tráfico de drogas e associação criminosa.
Ainda segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Humberto já tinha sido preso por assassinato em 2011 e atualmente possuía dois mandados de prisão em aberto por homicídio e tráfico de drogas.
O secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, afirmou que, "de uma só vez, retiramos das ruas um criminoso responsável por homicídios e distribuição de drogas, para Região Metropolitana de Salvador". 
Posição da prefeitura 
Em nota, a Prefeitura de Salvador informou que o caminhão, usado pelos suspeitos, "não pertence ao município". O órgão ainda afirmou que uma "apuração feita pela Seman (Secretaria Municipal de Manutenção) verificou que se trata de um veículo particular subcontratado de forma irregular pela empresa Roble para realizar o transporte de materiais de construção destinados  a uso em obras de escadarias na Capelinha de São Caetano".
A gestão municipal ressaltou também que, "diante do procedimento fora dos padrões contratuais, a Prefeitura de Salvador, por meio da Seman, vai tomar as medidas cabíveis contra a Roble, que jamais deveria possibilitar o uso da marca institucional em veículos sem o devido contrato com o município".
Mais informações →

Sem Comentarios


Herna Mondragon, um fã de Xuxa da Argentina, passou mal e faleceu, ao encontrar a apresentadora no aeroporto de Buenos Aires. O caso foi relatado pela loira, no perfil do Instagram. A eterna rainha dos baixinhos, está em solo argentino, para inaugurar sua primeira franquia de depilação . Na década de 90, Xuxa comandou uma programa infantil na Argentina, onde tem muitos fãs até hoje.



Fonte: http://micheltelles.atarde.com.br
Mais informações →

Sem Comentarios


Resultado de imagem para logo whatsapp cel

O Plenário do Conselho Nacional de Justiça determinou aposentadoria compulsória para o desembargador do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) Carlos Rodrigues Feitosa por venda de sentenças em plantões judiciários. A decisão foi tomada por unanimidade na sessão desta terça-feira, 18, durante o julgamento de Processo Administrativo Disciplinar (PAD). As informações foram divulgadas pela Agência CNJ de Notícias.
A conduta infracional do magistrado já vinha sendo apurada pelo CNJ desde 2015, quando a Corregedoria Nacional de Justiça iniciou a investigação, que "comprovou envolvimento do desembargador com esquema de venda de liminares por meio de troca de aplicativo de mensagem instantânea (WhatsApp) e Facebook".
Segundo o site do Conselho Nacional de Justiça, os casos analisados referem-se à "soltura de presos mediante pagamento em dinheiro". A oferta, segundo os autos, teria sido feita por advogados que frequentavam os plantões judiciários de Feitosa.
As investigações da Polícia Federal revelaram que eram cobrados valores entre R$ 50 mil e R$ 500 mil para cada decisão favorável durante os plantões de feriados e fins de semana no Tribunal de Justiça do Ceará para liberar presos, inclusive traficantes.
O grupo de WhatsApp - majoritariamente composto por advogados - foi criado pelo filho do desembargador, Fernando Feitosa, que avisava quando o pai estaria no Plantão Judiciário.
"O grupo era composto em sua maioria por advogados, mas também integravam pessoas custodiadas, que se encontravam presas no Ceará, suspeitas de cometimento de crimes graves. E mesmo dentro dos estabelecimentos penais participavam das negociações espúrias", afirmou o subprocurador-geral da República, Carlos Alberto Vilhena, que sustentou a acusação em plenário, na sessão do CNJ.
Na avaliação do conselheiro-relator do processo, Luciano Frota, os fatos demonstraram "clara violação dos deveres da magistratura". "A conduta do desembargador é incompatível com a honra, o decoro, a ética que devem nortear a judicatura. As provas não deixam dúvidas e impõem a pena de aposentadoria compulsória por violação aos deveres do magistrado", afirmou Frota, em citação do artigo 35 da Lei Orgânica da Magistratura Nacional.
Além de amplo material arrecadado durante as buscas e apreensões, o Ministério Público Federal revelou que a quebra do sigilo bancário dos envolvidos corroborou na imputação de negociação das decisões liminares ao comprovar que Fernando Carlos Feitosa, o filho do desembargador, detinha "expressiva quantia em dinheiro nas datas próximas aos plantões Judiciais em que seu pai atuava".
Defesa
A reportagem está tentando localizar o desembargador Rodrigues Feitosa. O espaço está aberto para sua manifestação de defesa.
Mais informações →

Sem Comentarios

Bahia tem a gasolina mais cara do Nordeste e a sexta mais cara do país
Foto: Reprodução / EBC

Um levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) constatou que a Bahia possui a gasolina mais cara do nordeste, valendo em média R$ 4,807 no estado, que aparece em sexto lugar na colocação nacional. O valor é quase R$ 0,20 maior do que a média nacional, que foi R$ 4,628. A pesquisa considerou os preços de 330 postos baianos, na semana do dia 8 a 15 de setembro.

O preço elevado da gasolina pode estar relacionado à alta margem de lucro média do estado, ou seja, à maior diferença entre o preço que o combustível é vendido e o valor pelo qual ele é comprado pelos postos. A margem média da Bahia é a segunda maior do Brasil, apresentando o lucro médio de R$ 0,615. O estado fica atrás somente do Acre, onde os postos lucram uma média de R$ 0,734 pelo litro do combustível.

O estado brasileiro que a pesquisa aponta a gasolina mais cara é o Acre, que vende o litro a uma média de R$ 5,129, seguido de perto pelo Rio de Janeiro, que apresenta uma média de preço de R$ 4,999. Já o estado onde o consumidor pode comprar a gasolina mais barata é o Amapá, que vende o combustível a R$ 4,129.

Na Bahia, a cidade em que se compra a gasolina mais cara é Porto Seguro, com o valor do litro a R$ 5,249. Já o município onde o combustível está mais barato é Lauro de Freitas, que vende a gasolina a uma média de R$ 4,403. A cidade com menor lucro para os postos é Lauro de Freitas, com R$ 0,31. Já o município que apresentou a maior margem média foi Livramento de Nossa Senhora, com R$ 0,982. Na capital baiana, o preço médio do litro de combustível é R$ 4,863, com a margem de lucro para os postos de R$ 0,707.


por Clara Gibson
Mais informações →

Sem Comentarios

Milhares de aparelhos de celular, baterias e acessórios piratas foram achados em depósito no Centro da capital — Foto: Polícia Civil/Divulgação

O sistema para bloquear celular pirata entra em operação no Brasil a partir desta quinta-feira (22). Nessa primeira etapa, a ação ocorrerá apenas no Distrito Federal e em Goiás, mas abrangerá todo o país até março de 2019.
Inicialmente, os donos de aparelhos irregulares nessas duas regiões serão apenas avisados do problema. O bloqueio dos celulares só ocorre dentro de 75 dias, em 9 de maio.
Nas demais regiões do país, o bloqueio ocorrerá em duas fases, programadas para 8 de dezembro de 2018 e 24 de março de 2019 (veja o cronograma abaixo).

Quais celulares serão bloqueados

Serão bloqueados apenas celulares piratas novos. Ou seja, o alvo da ação são aparelhos irregulares que entrarem na rede das operadoras a partir do início do envio das notificações naquela localidade.
No caso de DF e Goiás, portanto, o bloqueio só atingirá aqueles que forem registrados a partir de 22 de fevereiro. Em São Paulo, a partir de 23 de setembro. No Rio, a partir de 7 de janeiro de 2019.
Os celulares considerados "piratas" são os que não foram certificados pela Anatel ou tenham um IMEI (International Mobile Equipment Indentity) adulterado, clonado ou fraudado de alguma outra forma. O IMEI funciona como o número de identificação do aparelho. Celulares piratas não seguem normas de qualidade e segurança, segundo a Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel).
Além de celulares, também poderão ser alvo do bloqueio outros aparelhos conectados que usem chip e acessem a rede de dados das operadoras, como tablets e máquinas de cartão de crédito, mas que não sejam certificados pela Anatel. Também vale para eles a regra de que apenas aparelhos novos serão bloqueados.
O bloqueio não afetará os terminais exclusivos para dados (modens). A Anatel argumenta que não seria possível encaminhar as mensagens informativas aos aparelhos.
A Anatel não informa quantos aparelhos irregulares operam no país, mas aponta que cerca de 1 milhão de novos celulares piratas entram nas redes das prestadoras todos os meses. Um dos principais objetivos da medida é inibir a venda de celulares e tablets contrabandeados ou roubados.

Cronograma de bloqueio dos aparelhos

A medida aprovada nesta quinta pela Anatel prevê que, num primeiro momento, os donos de aparelhos piratas serão identificados e receberão mensagens de texto informando que o equipamento será bloqueado por não atender às normas da agência. Só depois dessas notificações e que os bloqueios começarão a ser feitos.
Distrito Federal e Goiás:
  • Início das notificações: 22 de fevereiro de 2018.
  • Início dos bloqueios dos aparelhos piratas: 9 de maio de 2018.
Acre, Rondônia, São Paulo, Tocantins, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul:
  • Início das notificações: 23 de setembro de 2018.
  • Início dos bloqueios dos aparelhos piratas: 8 de dezembro de 2018.
Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, estados do Nordeste e da região Norte:
  • Início das notificações: 7 de janeiro de 2019.
  • Início dos bloqueios dos aparelhos piratas: 24 de março de 2019.
O que é IMEI — Foto: Arte/G1O que é IMEI — Foto: Arte/G1
O que é IMEI — Foto: Arte/G1

Recomendações ao consumidor

O consumidor pode fazer uma checagem do número do IMEI para identificar se o aparelho é irregular ou não. Para isso, o consumidor deve verificar o número que aparece na caixa e o que consta do adesivo no próprio aparelho. Depois, comparar se os dois são iguais a um outro, que aparece ao se discar no equipamento: *#06#
Caso os números apresentados sejam diferentes, há uma grande chance de o aparelho ser irregular, informa a Anatel. O consumidor deve procurar o vendedor do aparelho e solicitar a regularização do aparelho.
Mais informações →

Sem Comentarios


Mesmo com todas as polêmicas em que seu nome está sendo envolvido nos últimos meses, Wesley Safadão fechou um show milionário para o carnaval do ano que vem.
Segundo o jornal “O Dia”, ele vai embolsar nada menos que R$ 1 milhão para cantar durante uma hora e meia em um camarote particular em Olinda. Ele cantará no domingo, dia 3.
Normalmente, Safadão cobra entre R$ 300 mil e R$ 400 mil para se apresentar durante a semana. Nos finais de semana, o seu cachê chega a R$ 700 mil.
Mais informações →

Sem Comentarios


Um homem que nasceu sem pênis, por conta de uma doença rara, recebeu um implante e comemorou a primeira relação sexual aos 45 anos.
O inglês Andrew Wardle nasceu com extrofia da bexiga, o que faz com que a bexiga se forme na parte externa do corpo, deixando o homem sem pênis.
A história de Andrew foi contada em um documentário chamado “O Homem Sem Pênis”, lançado no ano 2015, pela Discovery Networks International.
O implante peniano foi realizado este ano, no London’s University Hospital. A cirurgia durou cerca de 10 horas e ele precisou esperar seis semanas para ter a primeira relação sexual.
“Foi legal e natural, como eu queria que fosse”, contou Andrew, em entrevista ao jornal britânico Metro.
O casal agora comemora a nova vida, planeja se casar e ter filhos. As informações são do site Yahoo.
Mais informações →

Sem Comentarios

[Temer diz que presidente eleito não conseguirá sair da trilha traçada por ele]

Em um discurso improvisado na entrega de um prêmio em São Paulo, o presidente Michel Temer disse que o presidente eleito em outubro "não vai conseguir sair da trilha" de reformas traçada por seu governo.
"Estamos asfaltando o terreno para o próximo governo. Eu tenho a mais absoluta convicção de que seja quem venha a ser eleito, ele não vai conseguir sair da trilha que nós traçamos", disse Temer, após receber o prêmio "Pá de Ouro", da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção).
Em um discurso improvisado na entrega de um prêmio em São Paulo, o presidente Michel Temer disse que o presidente eleito em outubro "não vai conseguir sair da trilha" de reformas traçada por seu governo.
"Estamos asfaltando o terreno para o próximo governo. Eu tenho a mais absoluta convicção de que seja quem venha a ser eleito, ele não vai conseguir sair da trilha que nós traçamos", disse Temer, após receber o prêmio "Pá de Ouro", da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção).
Mais informações →

Sem Comentarios


[Vitória da Conquista: três dias após nascer, bebê é picada cinco vezes por escorpião e sobrevive]

Uma bebê recém-nascida baiana foi picada cinco vezes por um escorpião-amarelo e sobreviveu na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Maria Sofia Silva Ferreira, tinha apenas 3 dias de vida quando foi atacada pelo animal. As informações foram divulgadas pelo G1.
A menina nasceu no dia 3 de setembro. Dois dias depois, ela recebeu alta e foi para casa, no Conjunto Habitacional Campo Verde, no bairro Campinhos. O caso aconteceu no dia 6 de setembro.
De acordo com informações da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), a bebê foi levada para um posto de saúde por familiares após apresentar aumento da frequência cardíaca, excesso de saliva e recusa alimentar. Após ser atendida, ela foi encaminhada para o Hospital Municipal Esaú Matos. Ao examinar novamente a bebê, os médicos encontraram o animal. O escorpião estava preso no cordão umbilical da criança, escondido dentro da fralda.
De acordo com o laudo médico da unidade de saúde, onde a menina foi atendida pela segunda vez, foram aplicadas seis ampolas do soro antiescorpiônico na criança. Após passar três dias internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a menina teve alta, em 9 de setembro.
Do hospital, Maria Sofia, os pais e a irmã, de 7 anos, que nasceu sem parte do crânio, foram para a casa de uma tia da menina. Ao G1, a mãe da bebê contou que a casa onde morava estava infestada por escorpiões e, por isso, não poderia voltar para lá. Segundo Fernanda, um empresário da cidade se comoveu com a história e doou 6 meses de aluguel para eles. Além disso, o homem também deu um emprego para o marido de Fernanda, que estava desempregado.
"Nem sei explicar, só agradecer a Deus pelo grande milagre que ele fez na vidinha dela e na minha pela segunda vez. São dois milagres na vida de minhas filhas. Os médicos não deram expectativa de vida para minha outra filha e hoje ela já tem 7 anos. Graças a Deus", contou a dona de casa.
O escorpião que quase provocou a morte da menina saiu do hospital com ela e ficou com a família por alguns dias. Contudo, segundo Fernanda, a sogra dela levou o animal da casa.
Mais informações →

Sem Comentarios


Em movimento complementar, o uso do computador como forma de acesso à rede tem caído, de 60% na pesquisa anterior para 53% na atual - Foto: Divulgação | Freepik

O número de crianças e adolescentes que usa a internet apenas pelo celular cresceu. Segundo a Pesquisa TIC Kids Online divulgada nesta terça-feira, 18, o percentual de jovens entre 9 e 17 anos que acessa a rede somente pelo telefone móvel chegou em 44%. No levantamento anterior, com dados de 2016, o índice era de 37%.
O estudo aponta que 85% da população nessa faixa etária utilizou a internet ao menos uma vez em três meses, um total de 24,7 milhões de crianças e adolescentes. Em movimento complementar, o uso do computador como forma de acesso à rede tem caído, de 60% na pesquisa anterior para 53% na atual.
A televisão ganhou importância, subindo de 18% para 25%. Para o gerente do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), Alexandre Barbosa, essa expansão acompanha “um movimento da indústria” de oferecer novos produtos. “O surgimento das televisões inteligentes que já vêm com um conjunto de aplicativos”, ressaltou.
O acesso pela internet somente pelo telefone móvel é maior nas classes de renda mais baixa, D e E, nas quais houve um aumento de 61% no estudo anterior para 67%. Na classe C, esse uso exclusivo é de 43% e nas classes A e B, de apenas 15%. Esse tipo de acesso também é maior no Norte (59%) e menor no Sudeste (39%).
Segundo o pesquisador do Cetic Fábio Senne, o uso da rede apenas pelo celular está ligado à falta de infraestrutura de conexão e a dificuldades econômicas das famílias. “Há fatores que têm a ver não só com a conectividade, mas também com questões de renda e nível sociodemográfico que explicam a opção pelo celular. Nos dá a entender que especialmente nas faixas de maior renda da população a opção é sempre pelo uso de celular e outros dispositivos”, explicou.
Barbosa enfatizou que o acesso feito unicamente por dispositivos móveis tem limitações. “O uso exclusivo pelo celular traz algumas limitações no que diz respeito ao desenvolvimento de novas habilidades digitais”.
Notícias e política
Pouco mais da metade dos jovens (51%) disse que lê notícias on-line. O índice é menor do que os que usam a internet para trabalhos escolares (76%). Porém o percentual é maior entre os adolescentes de 15 a 17 anos, chegando a 67%. Nessa faixa etária também é maior o número de jovens que fala sobre política (23%), enquanto no público geral é de 12%. “O país tem vivido nos últimos anos uma exposição a esse tema da vida política”, destacou Barbosa sobre os números.
Em 12 meses, 39% das crianças e adolescentes disseram ter visto alguém ser discriminado na internet. O percentual chega a 54% na faixa de 15 a 17 anos. O preconceito por cor ou raça é o mais relatado (26%), seguido pelo de aparência física (16%) e pelo da opção sexual (14%).
Para elaboração do estudo, foram entrevistadas 3,1 mil jovens e 3,1 mil responsáveis entre novembro de 2017 e maio de 2018.
Mais informações →