Sem Comentarios

Follmann terá amputação aumentada, e Neto segue em estado grave

As informações sobre o estado de saúde dos quatro pacientes brasileiros sobreviventes do voo da Lamia foram atualizadas nesta terça-feira, em nova entrevista coletiva dos dois médicos brasileiros que estão em Medellín acompanhando os pacientes, todos internados no Hospital San Vicente, em Rionegro, referência na Colômbia.
Ao lado do diretor do hospital colombiano, Ferney Rodríguez, o médico intensivista Edson Stakonski e o ortopedista Marcos André Sonagli, que representam a Chape na Colômbia, explicaram o estado de saúde dos jogadores Alan Ruschel, Neto, Jackson Follmann e do jornalista Rafael Henzel.
Sonagli explicou que, na medicina, há quatro estágios num pós-acidente: resgate, luta pela vida, controle de dano e reabilitação.
– Alan e Rafael estão na fase de controle de dano, o Follmann está entre a fase de (luta pela) vida e controle de dano. O Neto ainda está na fase de (resgate de) vida – disse Sonagli, deixando clara sua preocupação com o estado do zagueiro.
CASO A CASO
A melhor notícia vem de Alan Ruschel, que deu os seus primeiros passos dentro da Unidade de Terapia Intensiva após tratar da fratura tóraco-lombar que sofreu. A tendência é que ele seja o primeiro a sair da UTI, podendo ser transferido ao quarto na quarta-feira. 
Rafael se sentou, o que é tido como uma grande conquista, mas ainda passará por uma cirurgia para fixação do pé direito na quarta. O quadro de pneumonia do jornalista está sob controle, embora ele ainda tenha picos de febre.
– Alan e Rafael deram o próximo passo, que era sentar. Follmann daria também, mas optamos por entubá-lo, o que não quer dizer que teve uma piora, para podermos cuidar da infecção. Rafael só não caminhou ainda como o Alan porque tem uma fratura no pé, e precisamos corrigir isso – explicou o ortopedista Marcos André Sonagli.
O goleiro Jackson Follmann foi entubado para limpeza cirúrgica, sendo encontrado sinais de infecção. Em procedimento a ser realizado na quarta-feira, ele perderá mais alguns centímetros da perna direita, que teve amputação traumática no acidente cerca de 15 centímetros abaixo do joelho. Por conta disso e de uma lesão na região cervical, ele segue entubado. 
– Na região da amputação, havia um grau de infecção importante, necrose muscular. Amanhã vamos aumentar um pouquinho a amputação óssea. É muito mais importante mantê-lo vivo do que com um pedaço a mais de perna, não podemos manter osso com necrose (...) Pelo menos três a quatro centímetros de osso serão cortados amanhã. Vou retirar um pedaço do osso que não está viável, que pode ter infecção. Se definirmos que mesmo tirando esse pedaço ainda esteja aumentando a necrose, vamos aumentar a amputação um pouco mais – disse Sonagli.
Em relação ao pé esquerdo, não há necessidade de amputação neste momento.
– Revisamos todas as feridas do Follmann. Ele tem ainda uma ferida no couro cabeludo que também abrimos, está estável, e uma lesão na parte óssea e de pele no pé esquerdo que, a princípio, tem boa vascularização, chegando bem sangue, sem sinais de infecção, mas é uma ferida importante que estamos cuidando – acrescentou.
Neto, em estado mais crítico, segue entubado por conta de um processo infeccioso pulmonar. Segundo os médicos, o zagueiro ainda está na fase de batalha pela vida e nas próximas 24h será avaliada a necessidade de cirurgia.
– Neto está em estado grave, com ventilação mecânica difícil, sedado, identificamos uma pneumonia, mas nas últimas 12 horas esteve mais estável, não teve piora clínica. Mas ele segue 100% dependendo do ventilador. Neto tem uma fratura na quinta vértebra lombar, mas como ele está acamado não temos como fazer essa fixação no centro cirúrgico. Ele tem ainda uma ferida na perna esquerda, na tíbia. Abrimos, checamos, limpamos, deixamos um dreno, não há sinais de infecção. Amanhã ele será submetido novamente ao procedimento de abertura dos pontos – explicou o médico intensivista Edson Stakonski 

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.