Sem Comentarios

Apesar de nova vitória em copa, Emily lamenta gol da Itália: ''Me deixou triste''

A seleção feminina segue imbatível no Torneio Internacional de Manaus. Nesta quarta, pela terceira rodada, o time canarinho obteve nova vitória, dessa vez por 3 a 1 diante da Itália, na Arena da Amazônia. Apesar do resultado positivo, que dá vantagem do empate na decisão contra as mesmas adversárias, a treinadora Emily Lima observou um ponto negativo: o gol de pênalti marcado por Parisi. Ao fim do duelo, a técnica lamentou que a defesa tenha sido vazada pela primeira vez sob seu comando. 
- Esse gol que a gente sofreu me deixou um pouco triste. Eu queria sair daqui (do Torneio Internacional de Manaus) sem sofrer gols. Mas enfim, aconteceu e foi bom que aconteceu. Porque nós vamos ver onde aconteceram os erros, e porque saiu o gol. Nesse caso foi bom, pois foi em vésperas de uma final, diante da mesma equipe. O objetivo é consertar o que aconteceu para que não aconteça na final - disse.
Questionada sobre a qualidade da Itália em comparação a Costa Rica e Rússia, equipes que a seleção goleou por 6 a 0 e 4 a 0, respectivamente, Emily foi realista. No entanto, criticou os diversos chutões dados por suas comandadas.
- São mudanças de comportamentos que a gente vai ter que começar. Até já começamos, pois o chutão virou trabalho com bola, com a bola no pé. Então isso ainda existe dentro delas. O primeiro recurso que elas têm é que a bola esteja longe. Mas a gente não pode pensar desta maneira. Tem que pensar em ficar com a bola, trabalhar ela desde a defesa, pois dessa forma a gente vai sair da pressão. Isso é tempo. É mudança de comportamento que a gente tem que ir executando dentro do treinamento com conversas - acrescentou.
Brasil x Itália Arena da Amazônia (Foto: Mauro Neto/Sejel)Brasil vence Itália por 3 a 1 (Foto: Mauro Neto/Sejel)
Outro ponto citado por Emily foi a falta de entrosamento, visíveis em alguns lances do jogo. Para o duelo diante das italianas, a técnica poupou, a princípio, Gabi Zanotti, Debinha, Rafaelle, Thaisa e Tamires. Ao perceber, durante o jogo, a qualidade do adversário, Emily realizou mudanças pontuais.
- Falta um pouco de entrosamento sim. A equipe que vem jogando, que é um suposto time titular, elas já vinham jogando há muito tempo. Então é muito mais fácil de você trabalhar e acertar as coisas com as meninas que já estão entrosadas do que com as que não estão. Mas eu vou forçar nisso. Acho que a gente tem que ter duas equipes prontas, pois caso alguém se machuque, elas vão ter que estar prontas para substituí-las. A gente não pode pensar que as substitutas não vão dar conta do recado. Não. Elas vão ter que dar conta do recado. Elas vão ter que ter essa confiança nelas que saiu uma entra outra - acrescentou.

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.