Sem Comentarios

Estado garante alfabetização de mais de 880 mil crianças na idade certa


Mais de 880 mil crianças até oito anos de idade estão sendo beneficiadas pelas ações desenvolvidas pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com 414 municípios baianos. A partir da formação de professores e distribuição de material e livros didáticos, o Estado contribui para garantir que as crianças sejam alfabetizadas na idade certa e tenham sucesso no seu percurso escolar. Os resultados desta parceria com os 11 municípios da Região Metropolitana, no âmbito do Programa Educar para Transformar, foram apresentados, nesta sexta-feira (21), no auditório da Secretaria, em Salvador.

Até o dia 1º de novembro, as experiências deste processo de alfabetização em todo o Estado estarão sendo socializadas em 18 seminários regionais. Um dos impactos mais significativos desta ação, articulada pelos Programas Estadual e Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pacto-Pnaic), é a formação de professores. O Estado já formou 27.687 professores alfabetizadores das redes públicas com toda uma metodologia e organização de trabalho, que torna o processo de ensino e de aprendizagem dos estudantes mais lúdico, atraente e eficaz, de modo que eles aprendem brincando.    

O Estado também está distribuindo 1 milhão e 500 mil livros, de autores baianos e referenciados na realidade da Bahia, selecionados via edital da Secretaria  da Educação do Estado. Este material está inspirando práticas pedagógicas e de leitura nas salas de aula. Entre as práticas mais atraentes para as crianças está o cantinho de leitura, que estimula a contação de histórias destas obras.

A professora Laudiceia Calafange, do 2º ano, conta o desdobramento da leitura do livro “A Estrelinha Atrapalhada’ entre as crianças da Escola Municipal Barra de Jacuípe. “Os estudantes leram o livro e ficaram encantados com a história. Daí, fizemos uma carta coletiva para a autora Noêmia Barreto, pedindo-lhe a permissão de dar nome ao elefantinho, um dos personagens. Ela adorou a ideia e ficou feliz por saber que o livro dela contribuiu para que as nossas crianças melhorassem a oralidade e a escrita”, destaca.

O cantinho da Matemática também é outra metodologia desenvolvida em sala de aula para fazer com que as crianças aprendam associando números e letras. “Por meio do jogo de pescaria, por exemplo, as crianças aprendem brincando questões voltadas ao sistema monetário. Já no jogo de sílabas, os alunos são instigados a formar o maior número de palavras em uma competição, que vence quem formar o maior número de frases, desenvolvendo, assim, a escrita e a oralidade”, explica a professora Isabel Melo, do município de Dias D´Ávila.   

O Pacto-Panaic também conta com 414 coordenadores locais e 1.258 orientadores de estudo. A professora Regiane de Jesus é orientadora de estudo do município de Camaçari. Ela destaca o projeto Rádio em Pacto, utilizado para ampliar a oralidade dos professores alfabetizadores e facilitar a comunicação com as crianças. “Através da ludicidade do rádio, trabalhamos com entrevista, fofoca, seminário e debate, para desenvolver a habilidade de comunicação discursiva com argumentação, emissão de opinião, organização do pensamento, entonação e postura”, relata. 

Foto seminário: Geraldo Carvalho
Foto Escola Estadual Vale dos Lagos: Claudionor Junior


- ASCOM
Secretaria da Educação do Estado da Bahia
Tel: (71) 3115 - 8954/9026
www.educacao.ba.gov.br

http://www.sec.ba.gov.br/assinatura-expresso.png

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.