Sem Comentarios

VAR se lenhar!

Colunista relata situações em que o Esporte Clube Bahia foi punido por conta do VAR - Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia | Divulgação
Léo Santana | Fotos: Felipe Oliveira | EC Bahia | Divulgação
Fico impressionado com a falta de critério e de qualidade da arbitragem brasileira e sul-americana. Nem com o auxílio do árbitro de vídeo, que chegou ao futebol para somar e acabar com os erros recorrentes, estes ditos juízes conseguem ser corretos e coerentes.
Na última semana, vimos o Bahia ser literalmente 'assaltado' pelo VAR do boliviano Gery Vargas, que anulou dois gols, no mínimo, duvidosos a favor do Tricolor, em partida diante do Atlético-PR, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. Na ocasião, o árbitro argentino Fernando Rapallini validou os tentos e, minutos depois, após consulta do sistema, invalidou-os.
O primeiro gol de Clayton foi um lance totalmente interpretativo, em que o juizão a apenas dois metros do lance teve a convicção de que não houve falta. Portanto, o VAR não deveria sequer ser acionado.
Em partida contra o Atlético Paranaense, o árbitro argentino Fernando Rapallini validou os tentos e, minutos depois, após consulta do sistema, invalidou-os
Em partida contra o Atlético Paranaense, o árbitro argentino Fernando Rapallini validou os tentos e, minutos depois, após consulta do sistema, invalidou-os
Pra piorar a situação, no último final de semana, o Bahia sofreu o gol da derrota para o Corinthians em uma bicicleta do veterano Danilo muito semelhante ao golpe aplicado pelo atacante Clayton contra o Furacão. O gol corintiano foi validado, mas, será que se tivesse o árbitro de vídeo na partida do Brasileirão, seria anulado?! Difícil de acreditar, já que a 'ordem' é sempre prejudicar os nordestinos.
Voltando para o jogo contra a equipe paranaense, o segundo gol anotado pelo jovem Ramires e anulado pelo árbitro da Argentina também foi bastante questionado. Na oportunidade, o juizão sequer foi ao equipamento ratificar a marcação de impedimento. De longe, confiou nos juízes bolivianos que manipulavam o sistema e invalidou o gol para revolta dos tricolores e alegria dos paranaenses.
A verdade é que não adianta árbitro de vídeo se do outro lado dos equipamentos estão árbitros despreparados ou mal intencionados. Então, antes de contar com o VAR, é preciso instruir e ensinar os profissionais a manuseá-los, se não estaremos fadados a continuar com os mesmos erros de sempre ou até mesmo piores, com manipulações de resultados, o que deixa os torcedores ainda mais desacreditados e tristes com o futebol.
O segundo gol anotado pelo jovem Ramires e anulado pelo árbitro da Argentina também foi bastante questionado
O segundo gol anotado pelo jovem Ramires e anulado pelo árbitro da Argentina também foi bastante questionado

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.