Sem Comentarios

Polícia investiga se gabinete de Marielle Franco era alvo de escuta clandestina

 Polícia investiga se gabinete de Marielle Franco era alvo de escuta clandestina
Foto: Divulgação

A polícia civil está apurando se a vereadora Marielle Franco, assassinada em março deste ano no Rio de Janeiro, era alvo de escutas clandestinas em seu gabinete. De acordo com informações do jornal O Globo, os assessores de Marielle encontraram uma placa no teto da sala dela na Câmara Municipal do Rio, levantando suspeitas de que ela era monitorada e que o grampo teria sido retirado. No mesmo mês em que a placa foi encontrada, um homem foi flagrado por câmeras de segurança escalando o prédio da Câmara. Na ocasião, o vereador Tarcísio Motta (Psol) pediu uma varredura nos gabinetes dos vereadores, mas não foi atendido. A Assembleia Legislativa do Rio vota na quinta-feira o projeto de lei que cria o Dia Marielle Franco, previsto para ser celebrado em 14 de março, data da morte da vereadora. A ideia é que seja um marco no combate ao genocídio da mulher negra.

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.