Sem Comentarios

PRODUTORES DE FRUTAS DO VALE DO SÃO FRANCISCO ESTIMAM R$ 570 MILHÕES EM PREJUÍZOS COM A PARALISAÇÃO DOS CAMINHONEIROS


Maior exportador de frutas do país, o Vale do São Francisco já contabiliza um prejuízo de R$ 570
 milhões ao final do oitavo dia de paralisação dos caminhoneiros. A conta foi apresentada na 
tarde desta segunda-feira (28), pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de 
Petrolina (SPR), Jailson Lira. 
Segundo o representante do mais importante segmento da economia regional, a paralisação 
vem atingindo fortemente o setor, que deixou de comercializar nesta semana para os mercados
 interno e externo 40 mil toneladas de uvas e 60 mil toneladas de mangas, além de mais 200 mil 
toneladas de outras frutas, a exemplo de acerola, banana, coco e mamão. 
"Com todo esse tempo de paralisação, nossas câmaras frias já estão com a ocupação 
esgotada, não oferecendo mais espaço para o armazenamento das frutas colhidas 
recentemente. O resultado são pomares e mais pomares com frutas apodrecendo no campo", 
lamentou.
Jailson Lira advertiu ainda que 80% da safra a ser colhida essa semana poderá ficar 
comprometida por falta de mercado. "Além de termos cancelados todos os novos pedidos do
 mercado interno, outro agravante é a falta de combustível para os tratores e pulverizadores, o 
que pode ocasionar a perda das safras de exportação de setembro e outubro", pontuou. 
Ao final da reunião, os produtores assinaram um documento, onde reconhecem a legitimidade do
 movimento dos caminhoneiros, "por que também sentem o alto custo do diesel na atividade 
agrícola" e solicitam dos poderes competentes a agilização das negociações, liberação das 
estradas e acessos aos portos, além da agilização dos documentos de liberação das frutas, a 
exemplo da Permissão de Trânsito de Vegetais (PTV).

CLAS Comunicação & Marketing
Reprodução: Blog do Geraldo José

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.