Sem Comentarios

Mulher denuncia golpe de R$ 12 mil em fatura de cartão de crédito, em GO

A aposentada Saray de Paula Menezes denuncia que recebeu uma fatura de mais de R$ 12 mil no cartão de crédito de compras que ela nunca fez. Ela acredita que caiu em um golpe após receber uma suposta ligação do banco comunicando que ela havia sido vítima de uma fraude. A mulher, que mora em Goiânia, diz que seguiu as orientações da atendente, que pediu a senha e recolheu o cartão na casa dela. O caso foi registrado na Polícia Civil.
Saray diz que achou a ligação suspeita, desligou, e discou para a central de cartão de crédito para checar se a informação procedia. Para a surpresa dela, a chamada foi atendida pela mesma mulher que havia ligado para comunicar a suposta fraude.
“Ela falou: ‘A senhora pode digitar a senha do seu cartão?’ Aí eu falei ‘sim ‘e digitei os números no celular. Aí ela pegou, demorou um pouquinho e falou ‘Dona Saray, é verdade. A senhora está sendo vítima de uma fraude em seu cartão’”, contou a aposentada.
A aposentada afirma que a atendente pediu que ela escrevesse uma carta à mão contestando empréstimos e compras e orientou-a a riscar a parte magnética do cartão. Em seguida, enviou um homem até a residência dela para recolher o cartão e a carta com os dados pessoais. Ela entregou o material e, alguns dias depois, foi notificada pelo banco de que havia ultrapassado o limite do cartão de crédito.
“Eu ainda falei para o moço. Falei está aí do jeito que a moça pediu. Mas o chip eu não danifiquei. Era o que eles queriam. Depois, quando eu estava no sofá, mexendo no celular, chegou uma mensagem falando que as compras estavam ultrapassando meu limite”, relatou.
Investigação
Ao chegar a fatura, ela ficou surpresa com a quantidade de compras que estavam sendo cobradas e ela nunca havia feito. Saray registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil e o caso está sendo investigado pela Delegacia Estadual de Investigação de Crimes contra o Consumidor (Decon).

O delegado Webert Leonardo Lopes diz que o caso é novo e que vai tentar identificar os envolvidos. Segundo ele, esta é a primeira vez que ele escuta uma história de criminosos que conseguem interceptar a ligação da central de atendimento.
“A Polícia Civil tem que averiguar melhor esta situação e verificar como e em quais circunstâncias esta situação aconteceu, a fim de que possamos evitar que possa acontecer novamente”, afirmou.

G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do banco responsável pelo cartão de crédito por email e telefone às 14h35 e aguarda o posicionamento da instituição sobre o caso.


Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.