Sem Comentarios

Caprinocultura leiteira da Bahia ganha novo fôlego



Os queijos finos do “Programa Cabra Produtiva, Rota do Leite” foram apresentados na FENAGRO 2016
A noite de ontem (29/11) foi de degustação das iguarias produzidas no Programa “Cabra Produtiva, Rota do Leite”, e regada aos vinhos produzidos no Vale do São Francisco. O evento aconteceu no Parque de Exposições de Salvador, onde é realizada a Feira Internacional da Agropecuária da Bahia (FENAGRO). O momento foi de comemorar os resultados positivos conquistados pelo programa, da Secretaria da Agricultura da Bahia (SEAGRI), que desde sua implementação, possibilitou o aumento de captação de leite em mais de 50%. “O nosso desafio é avançar ainda mais, estendendo o sucesso já conquistado na caprinocultura leiteira para a de corte. O Cabra Produtiva mostrou ao produtor que, investindo em genética, terá seu produto de qualidade reconhecido e valorizado pela indústria e comércio. O produtor que antes vendia o litro de leite por R$1,20 a R$1,30, hoje consegue comercializar por R$2,00 a R$2,50”, declarou o secretário da Agricultura, Vitor Bonfim.
O programa está organizando e profissionalizando a caprinocultura de leite baiana, a partir da articulação entre o produtor, a indústria e o comércio, com produção especializada de queijos finos de leite de cabra. Além disso, o Cabra Produtiva, através da Rota do Leite, apoia a realização de torneios leiteiros, que acontece durante exposições agropecuárias, incluindo a FENAGRO. Durante o evento também foram apresentadas as cabras vencedoras desses torneios. Antes da implementação do programa, apenas quatro estabelecimentos comercializavam produtos certificados com rótulos inspecionados pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB, e atualmente já são mais de 30.
Durante o evento, aconteceu a assinatura do termo de adesão ao SISBI concedido ao Laticínio Bom Sabor. Os produtos fabricados pelos laticínios que já possuem SIE (estabelecimentos com inspeção estadual) só podem ser comercializados no município, e, aderindo ao SISBI, tornam-se aptos a ser vendidos para outros estados. A adesão ao SISBI é reconhecida a partir do atendimento aos protocolos e requisitos legais verificados nos processos fiscalizatórios e em inspeções de rotina nas agroindústrias baseado no cumprimento das normas sanitárias e dos programas de autocontrole. “O SISBI é de significativa importância para o laticínio, que fica no município de Juazeiro, separado do Estado de Pernambuco apenas por uma ponte. Agora os produtos fabricados lá, podem ser comercializados no Estado vizinho”, salientou Bonfim.
A caprinocultura tem representação significativa no Semiárido baiano, região que possui o maior rebanho do Brasil com aproximadamente 2.768 milhões de animais, o equivalente a 30,22% do rebanho nacional, de acordo com dados do IBGE.




ASCOM SEAGRI – 30 novembro de 2016
Viviane Cruz – DRT-BA 4735
Fones: 71 3115.2794 / 9 9923.9736

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.