Sem Comentarios

Quatro são presos por extorsão mediante sequestro; dois são policiais militares

Quatro são presos por extorsão mediante sequestro; dois são policiais militares
Membros do grupo presos em 2015 | Foto: Divulgação/SSP

Quatro criminosos envolvidos em casos de extorsão mediante sequestro, entre eles os soldados da Polícia Militar Maurício Santana Santos e Clóvis de Miranda Silva, foram presos na tarde desta quinta-feira (27). Um quinto integrante do grupo, o também soldado PM Jorge Ádson Cruz, não foi localizado e é considerado foragido. Os cinco são alvos de mandados de prisões expedidos pela Justiça. As prisões ocorreram durante ação conjunta das corregedorias Geral e da Polícia Militar, além dos departamentos de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP). A quadrilha começou a ser desarticulada em novembro de 2015 – à época, quatro militares e outras duas pessoas foram presas. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o grupo sequestrava criminosos que ainda não tinham sido presos, ou parentes dos suspeitos, e exigia pagamento de resgate. “Começamos a investigar a partir de uma vítima que já tinha sido sequestrada três vezes. Procuramos o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, que determinou a formação da Força-Tarefa e a investigação criteriosa do caso”, contou o diretor do DCCP, Moisés Damasceno. A partir deste caso, o departamento recebeu diversas denúncias. Um dos líderes da quadrilha é o militar Maurício Santana Santos, lotado na 29ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Imbuí). Ele foi preso pela primeira vez em outubro do ano passado, solto em março de 2016 e preso novamente em agosto deste ano. “Sabemos que eles não representam 1% da quase bicentenária e exemplar Polícia Militar da Bahia. A corporação e a sociedade não compactuam com este tipo de atitude”, afirma Damasceno. De acordo com o delegado, é investigada a participação de outras pessoas e existe a possibilidade do grupo ter praticado outros crimes. Durante a ação foram apreendidos R$ 1 mil em dinheiro, duas armas de fogo, 51 cartuchos de diferentes calibres, três automóveis, placas de veículos, algema, distintivo, relógios e aparelhos de telefone celular. Os PMs foram encaminhados para prestarem depoimento na Corregedoria Geral da SSP, serão encaminhados à Corregedoria da PM e ficarão custodiados no Batalhão de Choque da PM, em Lauro de Freitas.

Qualquer comentário com xingamentos palavras racistas será automaticamente excluído por nossa equipe. Agradecemos a Compreensão e o Respeito.